sábado, 29 de setembro de 2012

REALIDADE ...

 


 Em ti o meu olhar fez-se alvorada
E a minha voz fez-se gorjeio de ninho... 

E a minha rubra boca apaixonada
Teve a frescura pálida do linho...

Embriagou-me o teu beijo como um vinho
Fulvo de Espanha, em taça cinzelada...
E a minha cabeleira desatada
Pôs a teus pés a sombra de um caminho...

Minhas pálpebras são cor de verbena,
Eu tenho os olhos garços, sou morena,
E para te encontrar foi que eu nasci...

Tens sido vida fora o meu desejo
E agora, que te falo, que te vejo,
Não sei se te encontrei... se te perdi...
 

Florbela Espanca.
 


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

O TEMPO ...



 

O que é o tempo?!
Ele não nos responde...
manifesta-se nos caminhos percorridos,
Nas arestas que nos sulcam a pele,
nos olhos retratos sombrios,
Na alma que sempre cresce...
...

O que é o tempo?!
sua resposta emudecida nos indica,
Rotas e cruzamentos incertos,
Ausência de tabuletas,

As horas são vagas maritimas
onde todos dias mergulhamos
em seu-vosso belo-prazer…
matemáticamente somos ,
seres de-compostos de tempo,
mas somos nós e gostamo-nos,
mesmo nos caminhos e abismos,
Trilhados, afogados e errados!

 C.C.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

EU NÃO EXISTO SEM VOCÊ ...


Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham pra você
Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
Eu não existo sem você  

 
 

Vinícius de Moraes.